Acesse o Portal do Governo Brasileiro
Ferramentas Pessoais

PROGRAMA 237 - MAIS PEIXES EM NOSSAS ÁGUAS

ITAIPU BINACIONAL DIRETORIA DE COORDENAÇÃO SUPERINTENDENCIA DE GESTÃO AMBIENTAL

Clique aqui para obter o arquivo

Tamanho 17.6 MB - File type application/vnd.ms-powerpoint
Tela cheia

Conteúdo do arquivo

*
*
PROGRAMA 237 - MAIS PEIXES EM NOSSAS ÁGUAS
ITAIPU BINACIONAL
DIRETORIA DE COORDENAÇÃO
SUPERINTENDENCIA DE GESTÃO AMBIENTAL
IV ENCONTRO NACIONAL DOS NUPAS
5 – 7 de dezembro de 2012



PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
MISSÃO
Anterior

Aproveitamento hidráulico dos recursos hídricos do Rio Paraná, pertencentes em condomínio aos dois países, desde e inclusive o Salto Grande de Sete Quedas, ou Salto de Guaíra, até a foz do Rio Iguaçu


Gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai
Planejamento Estratégico
05.9.2003

FOCO: responsabilidade social e ambiental, nova Ética do comportamento empresarial



Conectividade com a problemática
Global, Local e da Água



OBJETIVOS DO CULTIVANDO ÁGUA BOA
Recuperação de cada microbacia da Bacia do Paraná 3
Gestão participativa - total envolvimento dos atores sociais
Conexão global e ação local
Apoio a segmentos socialmente vulneráveis e promoção do desenvolvimento regional
Construção da Cultura da Água
Implantação da Ética do Cuidado
Construção da Sustentabilidade
Busca do Novo Jeito de Ser/Sentir, Viver, Produzir e Consumir : Construção da Solidariedade entre as pessoas, e das mesmas com a natureza







PROGRAMA MAIS PEIXES EM NOSSAS ÁGUAS Comitê Gestor Externo
IAP, IBAMA, UEM,
Unioeste, Emater,
Colônias de pesca
Z-13 Guaíra, Z-12 Foz do Iguaçu, São Miguel do Iguaçu, Itaipulândia, Santa Helena, Entre Rios do Oeste,
Marechal Cândido Rondon,
ITAIPU, Associações de Pescadores SEAP, Prefeituras
da Bacia do Paraná 3
Sub-comitê
Aquicultura
Sub-comitê
Recursos Pesqueiros



O que é o programa
O programa Mais Peixes em Nossas Águas é um programa de inclusão social, alinhado ao objetivo Estratégico 7 (Fomentar o desenvolvimento socioeconômico da área de influência)

“O monitoramento do rendimento e socioeconomia da pesca no reservatório de ITAIPU BINACIONAL é desenvolvido pela empresa desde 1987. Os dados retratam que para 94% dos pescadores a renda mensal é inferior a 2 salários”.






Inclusão social;
Resgate e valorização das classes que dependem da pesca;
Proporcionar uma melhor qualidade de vida para os pescadores, assentados, pequenos produtores e comunidades indígenas;
Aumentar a produção pesqueira;
Objetivos




promover o desenvolvimento sustentável da aquicultura e piscicultura na bacia do Paraná III;

produzir alimento com alto valor nutritivo;

monitorar e conservar a biodiversidade.
Objetivos




Aumentar o numero de pescadores aquicultores;
Viabilizar a cadeia do pacu
Viabilizar a criação de outras espécies
Capacitar
Apoiar a Implementação condições para certificação sanitária
Aprimoramento tecnológico
Metas



Quais os beneficiários
Diretos:
7 colônias e 3 associações de pescadores com aproximadamente 950 pescadores artesanais, com atuação no reservatório de Itaipu;

153 famílias com cerca de 750 índios.


Indiretos:
Comunidade e municípios da BPIII.




1 - Apoio à aquicultura regional
2 - Aquicultura em áreas Indígenas
3 - Parque e áreas aquícola
4 - Pesquisas em Aquicultura

5 - Banco de Germoplasma
6 - Resgates de Peixes na Unidades Geradoras
7 - Adequação dos pontos de pesca
8 - Monitoramento da pesca profissional e esportiva
9 - Monitoramento de Ovos e Larvas
10- Canal da Piracema e estudos de migração de peixes

AÇÕES DO PROGRAMA




Fornecimento de alevinos para os projetos de piscicultura em
tanques-rede e assentamento

Parcerias na produção
de alevinos para atender
o projeto de tanque-rede


APOIO A PISCICULTURA EM TANQUE TERRA



Transporte
Instalação
Alevinagem
Peixamento
Comercialização
Abate
Despesca
Alimentação
Biometria
Manejo
Cadeia Produtiva
PACU em tanque-rede
PROCESSAMENTO
Desossa
Defumado
Pele
Apoio a Aquicultura regional - Pescador Aqüicultor



Objetivos

Produzir alimento através da aquicultura
Valorizar e manter a cultura de consumir peixe
Proporcionar alimento fresco
Incluir as peles no artesanato

Importância:
Diminui a desnutrição
Alimentação de qualidade com elevado valor protéico
Autonomia alimentar - diminui a dependência de donativos
Valorização étnica

AQUICULTURA EM ÁREAS INDÍGENAS



Comunidade Indígena Avá - Guarani (Oco y)
134 FAMÍLIAS ATENDIDAS
AQUICULTURA EM ÁREAS INDÍGENAS



INÍCIO DO CULTIVO EM DEZEMBRO DE 2006 10 TANQUES-REDE
CULTIVO DE PEIXES EM TANQUES-REDE NA ALDEIA INDÍGENA TEKOHA OCOY



Primeira Despesca realizada
no dia 11/04/2007
CULTIVO DE PEIXES EM TANQUES-REDE NA ALDEIA INDÍGENA TEKOHA OCOY



CULTIVO DE PEIXES EM TANQUES-REDE NA ALDEIA INDÍGENA TEKOHA OCOY
Distribuição do pescado feita às 134 famílias da aldeia



CULTIVO DE PEIXES EM TANQUES-REDE NA ALDEIA INDÍGENA TEKOHA OCOY
Após aprovação da qualidade do pescado produzido...



CULTIVO DE PEIXES EM TANQUES-REDE NA ALDEIA INDÍGENA TEKOHA OCOY
...mais de 30 tanques-rede foram instalados
Mão de Obra: Técnicos da Itaipu e Índios da Aldeia – Média 6t.



Objetivos:

Estudar e demarcar áreas propícias para cultivo de peixe em tanque-rede
Atender a legislação específica decreto 4.895 de 25 de novembro de 2003 IN de 31 de maio de 2004
Garantir o desenvolvimento da atividade de forma sustentável
Estimar a capacidade de suporte para cada braço
Garantir a manutenção da qualidade de água


Importância:
Alternativa para produção de peixes
Garantia dos usos múltiplos do reservatório
Ordenamento da aqüicultura


Execução:
Itaipu Binacional com participação da SEAP
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



3 Parques Aqüícolas
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



18 Braços Estudados
com Áreas Aqüícolas
2.359,38 ha de áreas propícias
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



4 - PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



Legislação e política de parques e áreas aquícolas
Ordenamento da aqüicultura em reservatórios
Metodologia para estudo da capacidade suporte para instalação de tanques-rede
Participantes: Empresas do Grupo Eletrobrás (CHESF, FURNAS, ELETRONORTE e ITAIPU) e outras geradoras como COPEL, DUKE ENERGY, AES TIETE e CEMIG.
Órgãos ambientais com IAP e IBAMA, além da SEAP, ANA e Secretaria de Patrimônio da União
4 - PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS
SEMINÁRIO ASPECTOS TÉCNICOS DA AQUICULTURA EM RESERVATÓRIOS



Os critérios validados foram classificados como includentes, excludentes e restritivos (conflito)
Critérios
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS
Critérios Includentes: Existência de atividade ou característica favorável ao sistema de cultivo
Critérios Excludentes: Existência de atividade ou característica conflitante
Critérios Restritivos: Existência de atividade ou característica desfavorável



PROFUNDIDADE: 1,50 m entre a parte inferior da estrutura e o álveo do corpo d'água ou a relação de 1:1,75 m, prevalecendo sempre a que for maior. No caso de reservatórios devendo ser observada a cota média de operação do mesmo (Média 219 - 220,50 m / Mínima >> / 2000 - 215,33). Segurança de operação do reservatório / seca / cheia, sugere-se).
EXISTÊNCIA DE ACESSO: Includente - Estradas vicinais / Corredores de dessedentação entre outros / Menores conflitos / Baixa necessidade ou dispensa de supressão de vegetação / Melhor infra-estrutura elevando o grau de classificação da área, indicando uma maior aptidão.
Critérios considerados
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



ÁREAS COM EMBATE DE ONDAS: Excludentes / Depende da tecnologia empregada.
RESERVAS INDÍGENAS: A princípio Excludente / Includente caso tenha demanda pela comunidade indígena / Legislação pertinente (TUTELA / FUNAI) Lei 6001 de 19 de dezembro de 1973.
ABASTECIMENTO PÚBLICO: Inicialmente como Excludente / Prioridade abastecimento humano / Baixa aptidão / Única área disponível ---->>> Restritivo / Estudos detalhados sobre o sistema hidrológico e limnológico / As restrições postas pela ANA também devem ser levadas em consideração;
Critérios considerados
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: Restritivo / Deverão ser observados os critérios do SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação), assim como, os Planos de Manejo para avaliar os diferentes níveis de restrição dos diferentes tipos de Unidades de Conservação
ÁREAS TURÍSTICAS E DE LAZER: Restritivo / cênico / balneários / excluídas a priori / poluição visual / conflitos com as atividades de lazer / Baixa aptidão.
NAVEGAÇÃO, HIDROVIA E PORTOS: Restritivo: Distanciamento mínimo de 1000m de raio a partir da borda da hidrovia ou porto, com anuência da Marinha. Ressalta-se que a NORMAM 11/DPC, deverá ser atendida
Critérios considerados
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



ÁREAS DE DESOVA E BERÇÁRIOS: Restritivo / (montante e jusante) de 1000m / Tanques ---->>>>Atrativo de predadores e pescadores, aumentando a pressão sobre a área.
LANÇAMENTOS DE EFLUENTES: Restritivo / avaliação a capacidade de diluição do corpo receptor / Tal avaliação é responsabilidade da ANA;
PESCA AMADORA E PROFISSIONAL: Restritivo: Demarcadas / Consulta a comunidade pesqueira
ÁREA DE PALITEIRO: Restritivo: Avaliar níveis de flexibilização do reservatório
CORPO PRINCIPAL: Distância mínima de 1500m da estrutura física da barragem / Jusante ------->>>> operação dos vertedouros.
Critérios considerados
PARQUES E ÁREAS AQUÍCOLAS



Entrega dos primeiros títulos (73) de áreas aquícolas – modalidade não onerosa
Público-alvo
Pescadores
Índios
Ribeirinhos
Assentados



Objetivos:
Pesquisar a viabilidade técnica e econômica da criação de espécies nativas em tanque-rede.
Estudar alternativas de manejo para cada espécie.
Monitorar possíveis impactos aquicultura no meio ambiente.
Estudar cultivos mistos com espécies nativas;
Controlar Mexilhão Dourado
Reproduzir peixes já adaptados ao tanque-rede.

Desenvolvimento de novas tecnologias aplicadas ao reservatório (sustentabilidade da aquicultura).


PESQUISAS EM AQUICULTURA



PESQUISAS EM AQUICULTURA



Desenvolvimento de técnicas de manejo aplicadas ao reservatório
Pacote tecnológico de produção do Pacu para CMS

Testes de espécies nativas

Testes de reprodutoes



PESQUISAS EM AQUICULTURA



Objetivos:

Pesquisas em criopreservação.
Armazenamento de material genético em nitrogênio.
Conservação da biodiversidade de peixes.
Redução do custo de manutenção de reprodutores.
Possibilidade de troca de material genético.
Estocagem de material genético.


BANCO DE GERMOPLASMA



Coletadas 360 doses de sêmen
52 indivíduos
BANCO DE GERMOPLASMA



RESGATE DE PEIXES EM TURBINAS



Peixes Resgatados Por Ano em ITAIPU



ADEQUAÇÃO DOS PONTOS DE PESCA



DEPOIS
ANTES
ADEQUAÇÃO DOS PONTOS DE PESCA



9 – ADEQUAÇÃO DOS PONTOS DE PESCA
MÓDULO COLETIVO



Objetivos:
Levantar dados estatísticos do rendimento pesqueiro no reservatório.
Levantar dados da situação sócio-econômica dos pescadores no Reservatório.
Estudo conduzido desde 1987. Maior série histórica de dados da pesca interior no Brasil.
Conhecimento do perfil sócio-econômico dos pescadores.
Subsidiar o manejo pesqueiro e ações de compensação sócio- ambiental.

MONITORAMENTO DA PESCA PROFISSIONAL E ESPORTIVA






MONITORAMENTO DA PESCA PROFISSIONAL E ESPORTIVA



MONITORAMENTO DE OVOS E LARVAS



Objetivos:
Permitir o fluxo entre as populações de peixes abaixo e acima da barragem.
Avaliar e monitorar o comportamento das espécies migradoras.
Proporcionar condições para atividades aquático - desportivas (canoagem, rafting, entre outras).
Atividades esportivas fora dos períodos de piracema.
CANAL DA PIRACEMA E ESTUDOS DE MIGRAÇÃO DE PEIXES



CANAL DA PIRACEMA E ESTUDOS DE MIGRAÇÃO DE PEIXES



Amostragens para avaliação da ictiofauna ao longo do Canal, com identificação de 126 espécies
CANAL DA PIRACEMA E ESTUDOS DE MIGRAÇÃO DE PEIXES



Projeto trinacional envolvendo três Hidrelétricas
Monitoramento das dispersões de espécies migradoras desde Yacyretá - Paraguai até Porto Primavera - SP.
Marcados mais de 36.000 exemplares.
1200 marcas devolvidas.
CANAL DA PIRACEMA E ESTUDOS DE MIGRAÇÃO DE PEIXES



MONITORAMENTO DA BIODIVERSIDADE DE PEIXES



MONITORAMENTO DA BIODIVERSIDADE DE PEIXES



APOIO AOS EVENTOS DE CANOAGEM



PRINCIPAIS MARCOS
produção de 2.000 cartilhas de Boas Práticas em Aquicultura;


construção de 15 módulos de uso coletivos para manejo do pescado;



cessão de 500 tanques redes para início de cultivo;




autorização do IBAMA para ocupação dos 63 pontos de pesca;
Antes Depois



4 anos de convênio com UNIOESTE para pesquisa de produção de peixes nativos em TR (tanque rede);






dias de campo, treinamento e capacitação para mais de 600 pescadores;




73 títulos de cessão para pescadores, assentados e indígenas;



Capacidade instalada 50 ton/ano.
Licenciamento de 3 parques aquícolas



mapeamento de áreas propícias para cultivo de peixes em TR, de todos os braços da ME;

áreas aquícolas:
encaminhados 10 pedidos de cessão de uso de áreas aquícolas (fora dos parques aquícolas);
destas 2 já foram autorizadas;
2 em fase final de licitação e as demais em processo;
capacidade suporte estimada em 7.000 ton/ano;
capacidade instalada 40 ton/ano.

10. suprimento de alevinos 40 a 80 mil/ano
Resultados já alcançados



aquisição de máquina despolpadoura para produção de CMS (carne mecanicamente separada);
em 2011 foram desossados 15.182 kg de peixe para 182 pescadores.
divulgação: em 2008/2009 foram destinados mais de 15.000 kg de CMS para 300 entidades da BPIII, servida para mais de 52.000 pessoas entre crianças, idosos, indígenas, entidades beneficentes e comunidade regional (peixes resultantes das estações de pesquisa);
Quais os resultados já alcançados



INTRODUÇÃO DE PEIXE DESOSSADO NA MERENDA ESCOLAR



Certificação:

Locais com SIM “eventual”
Santa Helena – sede da colônia
Itaipulândia – sede da colônia
Foz do Iguaçu – colégio agrícola e IFPR
Entre Rios do Oeste – 2 módulos coletivos de abate






Comercialização:
merenda escolar
Itaipulândia
Foz do Iguaçu
Santa Helena
Entre Rios do Oeste

feira do peixe da semana santa
Foz do Iguaçu
São Miguel do Iguaçu
Santa Terezinha de Itaipu
caminhão feira
Foz do Iguaçu (3 locais por semana)




CURTIMENTO ARTESANAL DE PELE DE PEIXE
Treinamento de capacitação de 5 a 9/11/2007
2 representantes de cada Colônia de pescadores
2 Índios da Aldeia Avá-Guarani do Ocoy



CURTIMENTO ARTESANAL DE PELE DE PEIXE



ARTESANATO COM PELE DE PACU
















Carla Canzi
www.itaipu.gov.br
fone: (45) 3520-6839
e-mail: canzi@itaipu.gov.br

 

Created with pptHtml
Ações do documento